Educação Montessori

MARIA MONTESSORI

Maria Montessori nasceu em 31 de agosto de 1870 na pequena cidade de Chiaravalle, no leste da Itália. Filha única de Alessandro Montessori e Renilde Stoppani, Montessori era neta do famoso geólogo e naturalista Antônio Stoppani.
Ao completar 12 anos, sua família, de modesta condição econômica, mudou-se para Roma, visando a oferecer para a filha as oportunidades de uma educação mais completa, quando fosse o tempo de iniciar seus estudos.
Aluna de uma escola elementar pública, Montessori não foi o que podemos chamar de aluna brilhante, mas a vivência na capital, rica de ideias novas e particularmente fascinante – fomentada pela reunificação da Itália e pela afirmação e desenvolvimento de novas instituições democráticas – fez que Montessori adquirisse alguns aspectos que viriam a se juntar ao seu caráter forte, o qual a marcaria para sempre.
 
Seu grande senso de dever, sua natureza assertiva, suas fortes convicções e a forma vigorosa de expressá-las rendeu-lhe ao longo da vida, muitos seguidores… mas também muitos opositores.
 
Maria Montessori construiu suas história pessoal, intelectual e científica dedicando-se por mais de meio século ao estudo e à pesquisa do mais fundamental e difícil problema do homem: sua formação, pois considerava que só por meio dela seria possível agir diante de questões decisivas da vida – sua conservação e seu desenvolvimento.
 
Até sua morte em 6 de maio de 1952, então com 81 anos, viveu de maneira concreta e apaixonada a história de seu próprio tempo, imersa em sua luta e em sua conquista, concebendo e experimentando novas alternativas, contestando as tradições e os dogmas e lançando-se com coragem às novas necessidades e às novas perspectivas da Educação, da Criança e da Humanidade.
 

Conheça mais

Filme: Maria Montessori – Uma Vida Dedicada às Crianças (2007), mostra os principais momentos da trajetória de Montessori como a graduação em Medicina, a militância feminista, o trabalho pioneiro com crianças deficientes, a fundação da "Casa das Crianças", a relação com o filho Mario etc.
 
Obras: Pedagogia Científica - Mente Absorvente - A Criança - Educação para Paz - A Formação do Homem - Da Infância à Adolescência - Educação para um Novo Mundo.
 

Educação Montessori

Um sistema é definido pela relação de suas partes.

Especificamente na Educação Montessoriana, não é a filosofia ou a metodologia tratadas individualmente que nos darão a possibilidade de entendê-la. Por constituírem-se em partes, são ordenadas hierarquicamente; mesmo com fronteiras claras que protegem a função de cada uma, estão a serviço e em sintonia com o todo.
 
Ao contrário de outros pesquisadores educacionais, a Drª. Montessori desenvolveu um método pedagógico para colocar em prática sua filosofia.
 
Entendia por Auto Construção: que a formação da estrutura do ser humano seria fruto de uma força interior; que se realizaria sob a influência do meio e dos períodos de desenvolvimento. Estes períodos, de características próprias, foram por ela assim definidos:
 

1° Período – Do nascimento aos 6 anos

A criança realiza sua própria construção através da exploração e da absorção do ambiente que a circunda. Sua inteligência labora em função do “externo” e das relações superficiais existentes entre os objetos e suas qualidades. É um período essencialmente sensorial.
 

2° Período – Dos 6 aos 12 anos

Nesta fase, o jovem é capaz de relacionar os fatos à luz da razão, preocupando-se com o “como” e com o “porquê” das coisas. É a entrada no mundo da abstração.
 

3° Período – Dos 12 aos 18 anos

O mundo passa a interessá-lo sob um ponto de vista diferente: procura aquilo que deve fazer, ou seja, desperta para o problema das causas e dos efeitos.
 
Em Educação como Ciência, defendia que esta resultaria de uma pedagogia científica que fosse capaz de respeitar as leis do desenvolvimento da criança e suas fases evolutivas. E, por fim, em Educação Cósmica fazia referência ao respeito às leis estabelecidas na estreita relação entre natureza e vida e sociedade humana; reconhecendo que é a “tarefa cósmica” de cada ser, que mantém a harmonia da vida e que torna possível a evolução.
 
A Drª. Montessori jamais considerou sua obra concluída, ao contrário, manifestou a expectativa de vê-la continuada e acrescida… “Se a ciência começasse a estudar os homens, conseguiria não só fornecer novas técnicas
 
para a educação das crianças e dos jovens, mas chegaria a uma compreensão profunda de muitos fenômenos humanos e sociais que estão ainda envolvidos em espantosa obscuridade. A base da reforma educativa e social, necessária aos nossos dias, deve ser construída sobre o estudo científico do homem desconhecido.”
 
Esta seria a tarefa inevitável dos que a sucederiam… Realinhar suas propostas à luz dos eventos intelectuais, culturais e científicos subsequentes.
 
Esta é a nossa tarefa!
 
Fonte: Organização Montessori do Brasil - OMB

O Colégio Sigma abre as portas para você.